A última semana de COVID-19 em Portugal - Em que ponto estamos?

Consulte todos os dados relativos a Portugal e ainda um olhar para a COVID-19 no mundo.

A evolução da situação epidemiológica de Portugal chegou a um ponto de inversão, desde o último dia 4 de abril onde se atingiram os 2 928 casos diários, um valor semanal com crescimento desde as semanas consecutivas de decréscimo de caso após o valor mais alto de sempre em Portugal e coincidente com a 3ª, e maior onda, de casos em Portugal.

A semana terminou com um total de 4 159 casos, atingido a semana de 14 de Março e num momento em que é expectável um crescimento dos casos após as novas medidas de desconfinamento que permitem já idas para esplanadas, ginásios, entre outros.

Os óbitos ascenderam aos 37 na última semana, uma redução de 19,1% relativamente à semana anterior. Este é também o valor semanal mais baixo desde 20 de Setembro.

Já os recuperados representam, ao final da semana, 94,82% de todos os casos já detetados em Portugal, o valor mais alto de sempre e colocando os casos ativos em 3,14%.

Evolução do Internamento COVID

O panorama atual de internados em unidades COVID teve um decréscimo acentuado após as medidas restritivas tomadas em Janeiro por parte do Governo Português. Chegaram a estar 6 869 doentes internados com COVID a 1 de Fevereiro e com uma máximo de 904 em UCI.

A evolução atual permite não só atingir uma estabilidade relativa no SNS como também retomar outros cuidados de saúde que foram comprometidos pela situação de saturação que se viveu entre Janeiro e início de Março.

Matriz de Risco

A Matriz de Risco, uma invenção do Governo aquando da divulgação do plano de desconfinamento, permite avaliar diariamente em que ponto nos encontramos tendo como base o R(t) – Índice de Transmissibilidade – e ainda o acumulado de novos casos, por 100 mil habitantes, nos últimos 14 dias.

Numa rápida análise, podemos verificar que a incidência de novos casos por 100 mil habitantes a 14 dias teve um ligeiro aumento na última semana, o R(t) tem subido gradualmente para um valor atual já acima de 1 (Portugal Continental e a nível Nacional). Atualmente o valor é de 1,02 sendo que este deverá ser superior aquando da revisão dos dados divulgada semanalmente pelo INSA.

Deste modo, estamos já numa fronteira entre verde e laranja o que, associado a uma baixa incidência de casos, não terá impacto no plano de desconfinamento atual. Caso o R(t) mantenha a sua subida para além de 1 e com uma incidência de casos mais elevada, é provável que ações sejam tomadas para inverter esse rumo – apesar do Governo ter admitido na última semana que a Matriz é meramente indicativa.

Distribuição de casos por Concelho

São neste momento poucos os concelhos com uma incidência de novos casos, por 100 mil habitantes, a 14 dias, no patamar de Risco Elevado. Na tabela seguinte é possível consultar o momento atual de cada Concelho – atualizado a cada segunda-feira – e ainda a evolução desde Dezembro de 2020 permitindo um olhar geral para a evolução da situação em cada um desses concelhos. São neste momento 26 os concelhos com mais de 120 casos, por 100 mil habitantes, nos últimos 14 dias.

Vacinação

Contamos atualmente com 1 520 991 pessoas vacinadas em Portugal – destas, 601 007 encontram-se vacinadas com as 2 doses necessárias para garantir a maior imunização possível ao Sars-CoV-2. Estamos ainda longe do objetivo para uma imunidade nacional mas o ritmo de vacinação teve um crescimento interessante desde 26 de Março. A situação derivada da vacina da AstraZeneca pode ter um impacto num ritmo mais lento na vacinação até que cheguem doses suficientes de outras vacinas para compensar a situação. 

OFEREÇA-ME UM CAFÉ

Apoie esta iniciativa individual que permite acompanhar a COVID-19 em Portugal, no projeto mais completo no país. O seu apoio ajudará a manter o desenvolvimento deste espaço e a qualidade da informação partilhada diariamente.

965 507 363           Paypal

Facebook

Siga-nos e fique a par de toda a informação

Aqui
A última semana de COVID-19 em Portugal – Em que ponto estamos?
Voltar ao topo