A última semana de COVID-19 em Portugal - Em que ponto estamos?

Consulte todos os dados relativos a Portugal e ainda um olhar para a COVID-19 no mundo.

A evolução da situação epidemiológica de Portugal tem estado numa toada positiva após o dia 28 de Janeiro onde se atingiram os 16 432 casos diários, o valor mais alto de sempre em Portugal e coincidente com a 3ª, e maior onda, de casos em Portugal. Os óbitos também tiveram o seu valor máximo a 28 e 31 de Janeiro, onde ambos os dias atingiram os 303 óbitos.

A semana terminou com um total de 2 877 casos, o valor mais baixo desde a semana de 6 de Setembro, com uma diminuição de 13,76% relativamente à semana anterior.

Os óbitos ascenderam aos 69 na última semana, uma redução de 21,73% relativamente à semana anterior. Este é também o valor semanal mais baixo desde 4 de Outubro.

Já os recuperados representam, ao final da semana, 94,51% de todos os casos já detetados em Portugal, o valor mais alto de sempre e colocando os casos ativos em 3,41%.

Evolução do Internamento COVID

O panorama atual de internados em unidades COVID teve um decréscimo acentuado após as medidas restritivas tomadas em Janeiro por parte do Governo Português. Chegaram a estar 6 869 doentes internados com COVID a 1 de Fevereiro e com uma máximo de 904 em UCI.

A evolução atual permite não só atingir uma estabilidade relativa no SNS como também retomar outros cuidados de saúde que foram comprometidos pela situação de saturação que se viveu entre Janeiro e início de Março.

Matriz de Risco

A Matriz de Risco, uma invenção do Governo aquando da divulgação do plano de desconfinamento, permite avaliar diariamente em que ponto nos encontramos tendo como base o R(t) – Índice de Transmissibilidade – e ainda o acumulado de novos casos, por 100 mil habitantes, nos últimos 14 dias.

Numa rápida análise, podemos verificar que enquanto a incidência de novos casos por 100 mil habitantes a 14 dias tem diminuído, o R(t) tem subido gradualmente para um valor atual perto de 1 (Portugal Continental). Atualmente o valor é de 0,93 sendo que este deverá ser superior aquando da revisão dos dados divulgada semanalmente pelo INSA.

Deste modo, entraremos numa fronteira entre verde e laranja o que, associado a uma baixa incidência de casos, não terá impacto no plano de desconfinamento atual. Caso o R(t) mantenha a sua subida para além de 1 e com uma incidência de casos mais elevada, é provável que ações sejam tomadas para inverter esse rumo – apesar do Governo ter admitido na última semana que a Matriz é meramente indicativa.

Distribuição de casos por Concelho

São neste momento poucos os concelhos com uma incidência de novos casos, por 100 mil habitantes, a 14 dias, no patamar de Risco Elevado. Em Risco Muito Elevado encontra-se apenas Machico, na Região Autónoma da Madeira, sendo que a situação encontra-se numa toada positiva. É importante notar, novamente, a necessidade de uma avaliação do risco a nível local, mais que nacional, de forma a ser possível atuar rápido e localmente nos concelhos em que exista uma incidência de casos acima dos níveis desejados e que possam colocar em risco todo o esforço realizado nos últimos meses para combater a pandemia em Portugal.

Vacinação

Contamos atualmente com 1 618 399 pessoas vacinadas em Portugal – destas, 469 642 encontram-se vacinadas com as 2 doses necessárias para garantir a maior imunização possível ao Sars-CoV-2. Estamos ainda longe do objetivo para uma imunidade nacional mas o ritmo de vacinação teve um crescimento interessante desde 26 de Março. Atualmente existem doses “de sobra” sendo que em Abril está previsto a chegada de doses que terão um enorme impacto no processo de vacinação. Ainda assim, a logística deste processo carece ainda de melhorias de forma a que, aquando da chegada das doses previstas, possa ser feita uma vacinação rápida. Este será um passo essencial para evitar uma nova onda de casos como é possível observar, por exemplo, em Israel, provavelmente o país com maior sucesso ao nível da vacinação da população e que se encontra atualmente com casos residuais.

OFEREÇA-ME UM CAFÉ

Apoie esta iniciativa individual que permite acompanhar a COVID-19 em Portugal, no projeto mais completo no país. O seu apoio ajudará a manter o desenvolvimento deste espaço e a qualidade da informação partilhada diariamente.

965 507 363           Paypal

Facebook

Siga-nos e fique a par de toda a informação

Aqui
A última semana de COVID-19 em Portugal – Em que ponto estamos?
Voltar ao topo