No dia em que se inicia a Operação da Páscoa com o objetivo de travar a movimentação de pessoas entre diferentes concelhos, excepto nos casos de trabalho ou devidamente justificados e ainda o encerramento total do espaço aéreo para passageiros, a situação epidemiológica foi apresentada pela dupla composta por Graça Freitas, Diretora Geral da Saúde e António Lacerda Sales, Secretário de Estado da Saúde. Os números mostram um ligeiro aumento em relação ao dia de ontem, em números absolutos e em pontos percentuais.

Os casos totais positivos são agora de 13956, um acréscimo de 815 casos, representando um aumento em relação ao dia de ontem. A nível percentual, o aumento é de 6,2%.

Em relação ao número de óbitos, estes são agora de 409, um acréscimo de 29, representando um crescimento de 7,63%. A taxa de fatalidade é agora de 2,93%, num novo pequeno aumento mas que tem sido contínuo. Esta taxa é de 11% a partir dos 70 anos.

Em relação ao número de casos recuperados, este aumentou ligeiramente dos 196 para os 205, ou seja, mais 9 recuperados.

Aguardam resultado laboratorial 3801 pessoas. O número de internados é de agora 1173 doentes, numa redução de 38 doentes, 241 deles nos cuidados intensivos, uma redução de 4 pessoas em relação ao dia de ontem.

Em caso de apresentar sintomas coincidentes com os do vírus (febre, tosse, dificuldade respiratória), as autoridades de saúde pedem que não se desloque às urgências. Ligue para a Linha SNS 24 (808 24 24 24).

Nos últimos 3 dias o número de casos tem feito a projeção do crescimento de casos ficar mais acertada, com uma manutenção da reta azul paralela à laranja escura, fruto de uma maior número de casos. Nos primeiro dias podíamos ver um achatamento da mesma. Será pelo maior número de testes nos últimos dias? É uma análise que pode ser feita posteriormente.

Em relação à projeção dos óbitos, o dia de hoje foi superior em 6 óbitos, ficando ainda assim perto e veremos o que nos espera nos próximos dias.

Estes são os números do COVID-19 em Portugal no início da operação Páscoa
Voltar ao topo