Na pessoa de Miguel AlbuquerquePresidente do Governo Regional da Madeira, foram apresentadas num comunicado dirigido à população novidades em relação à COVID 19 na Região Autónoma da Madeira. Pode encontrar os destaques e acompanhar a mesma nesta página.

Miguel Albuquerque começou por agradecer o comportamento da população da Região Autónoma da Madeira em respeito às medidas tomadas pelas autoridades de saúde, atempadamente, controlando a situação da região.

Alertou ainda que é prematuro antecipar conclusões visto que estamos ainda no início do 2º período do estado de emergência decretado. Ainda assim tem sido possível afirmar que as medidas que o governo da RAM tomou, têm permitido manter até agora sob controlo a disseminação passiva desta pandemia na região.

Por outro lado, as medidas permitiram que os casos detetados bem como aqueles em vigilância ativa e autovigilância tenham sido adequadamente acompanhados e tratados. O trabalho exemplar do trabalho das autoridades de saúde e de segurança que com a sua atuação competente permitiu o comprimento das medidas recomendadas.

Foi também indicado por Miguel Albuquerque que os casos detetados na Região resultaram de casos importados e de transmissão local. Em relação aos últimos, estes surgiram devido ao incumprimento total das medidas promovidas pelas autoridades.

Anunciado também foi que até dia 13 de abril irá ser acompanhada a situação epidemiológica na região, sendo provável que surjam novos casos. Deste modo, as medidas de confinamento devem continuar a ser seguidas pelos cidadãos com o maior rigor possível.

O período da Páscoa foi também abordado, sendo um período crucial de contenção para o controlo da doença na Região Autónoma da Madeira, sendo aconselhado um adiamento das reuniões de famílias para a salvaguarda da saúde de todos nós.

Alertou também para o efeito desta doença na população mais idosa como reforço para o cumprimento das regras estabelecidas.

As deslocações entre concelhos serão também controladas de forma a evitar ao máximo a possível dispersão deste vírus entre a população.

Em relação às questões dos jornalistas

No assunto das máscaras, foi indicado que se está a viver uma fase de confinamento onde a população terá de ficar nas suas residências, não havendo a necessidade, em casa, da utilização das mesmas. O objetivo das autoridades foi dotar os profissionais de saúde e doentes com três tipos de máscaras – As máscaras cirúrgicas para os profissionais de saúde, doentes e proteção civil; As FP2 para os portadores do vírus; E as FP3 utilizadas em bloco operatório.

Foi indicado que foram adquiridas cerca de 40 mil máscara com o objetivo acima indicado fazendo parte do material adquirido pela região. Neste momento está a ser planeado a dotação da população com 250 mil máscaras de uso corrente, para o dia-a-dia, cumprindo os padrões requisitados. Estas deverão estar na região entre 13-14 de abril.

Em relação ao pedido da RAM, proferiu que tanto a presidência da república como do governo central, ambos estão dotados da informação e está a ser aguardada uma reposta ao mesmo.

Abordando as contas da região devido à possível perda de empregos, foi abordado a perda diária de 8 milhões de euros do PIB apenas no turismo e construção civil. Indicou ainda que cerca de 533 empresas pediram lay-offintegrando cerca de 7 mil trabalhadores. Foi também defendido que a prioridade é controlar a segurança e saúde da população.

Em relação ao consumo de água e a dispensa de pagamento da mesma esta foi decretada para a segunda quinzena de Março e foi ainda isentado o pagamento de rendas para as famílias mais carenciadas em alojamentos sociais e ainda em concessões do governo. O prolongamento da medida está a ser ainda estudado.

Existe ainda um fundo que visa apoiar o pagamento das rendas das habitações dos estudantes deslocados a nível do ensino superior. Este fundo está dotado de 5 milhões de euros e servirá para diversos tipos de apoio.

Quanto às aulas para o 3º período, serão transmitidas, em relação às aulas, na RTP Madeira após acordo com a estação televisiva. Quanto a pormenores serão revelados mais tarde quando existirem novas informações. Ficou apenas confirmado que poderá iniciar-se já no início do 3º período, mas dependente de ordens superiores.

Quanto ao subsídio do ensino privado, o governo comprometeu-se a financiar o valor do ensino público e não mais do que isso. Quanto ao ensino superior, o governo regional não tem a obrigação de assumir esses custos.

A Festa da Flor foi remarcada para Setembro de 2020 mas este é um cenário ainda meramente temporário e condicionado para a evolução da situação na região.

Em relação aos testes para o COVID-19 e ao embargo por parte dos EUA à venda de material médico para outros países, o que se pensa é que a primeira encomenda deverá chegar devido a ter sido feita antes da decisão tomada pelo país.

Foi admitido por Miguel Albuquerque que o Governo Regional não obteve ainda qualquer apoio governamental, estando a tomar todas as medidas com o seu orçamento limitado. Abordou ainda a perda de receitas fiscais em cerca de 140 milhões de euros devido ao atual estado.

Quanto ao incumprimento por parte da população, foi dado uma palavra sobre o cumprimento geral tirando raras excepções de irresponsabilidade que levaram a casos positivos. Foi ainda dada uma palavra à TAP pelo seu cumprimento das regras no transporte de passageiros para a região.

 

COVID-19 – Governo Regional da R.A. Madeira fala à população
Voltar ao topo