Numa conferência marcada pelo regresso de Graça Freitas, Diretora Geral da Saúde e acompanhada por António Lacerda Sales, Secretário de Estado da Saúde, os primeiros instantes foram aproveitados para ser enviada uma mensagem de coragem por vivermos um tempo de adaptação às novas rotinas em casa, à pratica clínica pelos profissionais de saúde e à resposta do Governo sempre adaptada a cenários imprevisíveis.

O primeiro dia de abril, naquele que tem sido um ano movido pela preocupação e pela imprevisibilidade, trouxe-nos, tal como ontem, uma continuidade no aumento do número de novos casos. Portugal chega agora aos 8251 casos, num aumento de 808 em relação ao dia de ontem, ou seja, 11%.

Quanto aos falecimentos, estes ascendem agora aos 187, um acréscimo de 27, representando um crescimento de 16,8%. A taxa de fatalidade é agora de 2,26%, num pequeno aumento mas que tem sido contínuo. Esta taxa é de 9,1% a partir dos 70 anos.

Ao fim de 6 dias, Portugal mantém apenas 43 casos recuperados, não seguindo ainda a tendência mundial de um crescimento no número de casos recuperados. De ressalvar a necessidade de 2 testes consecutivos negativos para a presença de partículas virais num período de 24 horas de forma a confirmar um caso como recuperado. 

Aguardam resultado laboratorial 4957 pessoas. O número de internados é de agora 726 doentes, 230 deles nos cuidados intensivos, um aumento de 42 pessoas em relação ao dia de ontem.

Em caso de apresentar sintomas coincidentes com os do vírus (febre, tosse, dificuldade respiratória), as autoridades de saúde pedem que não se desloque às urgências. Ligue para a Linha SNS 24 (808 24 24 24).

Portugal atinge os 8251 casos depois de ter atingido o maior dia de casos ontem
Voltar ao topo