Na pessoa de Miguel Albuquerque, Presidente do Governo Regional da Madeira, foram apresentadas num comunicado dirigido à população, novas medidas para atenuar a propagação do vírus no território insular.

Ao considerar que as medidas adoptadas até este momento terem sido insuficientes para garantir a segurança de toda a população, foram determinadas as seguintes medidas, com início às 00h00 de 31 de Março:

  1. Atividades económicas – Cessação de todas as atividades económicas não essenciais de forma a garantir um confinamento mais eficaz dos cidadãos. (Tabacarias e Quiosques de jornais incluídos – Pode haver entrega ao domicílio)
  2. Casos suspeitos detetados na região – Confinamento obrigatório durante 14 dias em unidades hoteleiras. Foram requisitadas 3 novas unidades hoteleiras.
  3. Número de passageiros desembarcados nos aeroportos da Região Autónoma da Madeira – Limite de 100 passageiros semanal, independentemente das companhias a operar. Todos os passageiros desembarcados irão cumprir quarentena obrigatória de 14 dias em unidades hoteleiras.
  4. Reorganização do Sistema de Saúde – Impedimento da mobilidade dos profissionais de saúde entre as unidades de Saúde existentes de forma a evitar a propagação da doença.
  5. Reforço as medidas de segurança na restrição de circulação e ajuntamentos – As forças de segurança irão reforçar as medidas de controlo à circulação de pessoas e veículos e ainda ajuntamentos de mais de 2 pessoas.

Estas medidas visam colocar um travão no alastramento da doença na região.

Entre as diversas questões existentes, foi também esclarecido que as oficinas de reparação de carros serão encerradas, não sendo um serviço essencial. Em relação à deslocação de pessoas para as praias da região, foi referido um aumento da vigilância contra a irresponsabilidade da população que o fez.

As missas não são admitidas com a presença física de cidadãos, estando admitidas a nível online.

Mantém-se a proibição de visitas aos lares de idosos devido principalmente ao estado de saúde e vulnerabilidade destes.

Em relação à necessidade de uma guia de circulação para se dirigir ou voltar do trabalho, não existe obrigatoriedade de obter uma guia, ainda que algumas empresas o estejam a fazer para com os seus trabalhadores. Irá vigorar o bom senso nesta questão.

Em relação aos postos dos CTT, estes vai continuar em funcionamento, não estando assim comprometido o levantamento das reformas pelos pensionistas ainda que o levantamento das mesmas não deva ser feito pelos mesmos.

NOTA DE REDAÇÃO: O Governo Regional da Madeira decidiu reverter a decisão sobre o encerramento de quiosques permitindo assim a continuidade na venda de revistas e jornais. Tal deverá ser feito à porta ou postigo e existir ainda um distanciamento social neste ato.

Governo Regional da Madeira adopta medidas mais restritivas para a população
Voltar ao topo